Livros adaptados: Legal ou Nada Legal?

23 de mar de 2015
Oi oi gente, sou eu de novo aqui com vocês. Eu acho que a Lua não contou a novidade, mas eu prefiro que ela conte a novidade então eu fico de "bico fechado".
O assunto de hoje é polêmico, causa discórdia, brigas e muita treta. Ok, nem tanto, mas é uma questão que prende. Adaptar um livro para o cinema, é legal ou nada legal?
Minha resposta é que depende muito, depende de como é o livro, quem será o roteirista e produtor, e principalmente, quão participativo o autor do livro será nos bastidores.
Alguns livros simplesmente são perfeitos para virarem um filme, mas outros são impensáveis. Alguns livros são extremamente complexos, ou envolvem algo que para uma gravação custaria caro e infelizmente a solução é cortar a cena, mesmo que ela seja crucial. O que torna o roteirista e o produtor muito amados ou muito odiados, ainda mais quando grande parte do público são leitores e fãs dos livros, o que leva provavelmente o roteirista a ser odiado. Eu sou um exemplo disso, eu sou muito critica com isso, se eu vejo um filme de algum livro que eu já tenha lido, eu aponto todas as diferenças e tento ver o quão relevante aquilo era e é ai que eu me decepciono com a adaptação.
Sobre a participação do autor nas gravações do filme, eu acho totalmente essencial. Isso é perceptível em A Culpa é das Estrelas, John Green foi extremamente participativo e o filme é maravilhoso. Até mesmo no trechinho que podemos conferir do trailer de Cidades de Papel é fato que o filme está bem fiel. Então eu vou falar para vocês de alguns livros que eu considero fracassos e sucessos na adaptação.

FRACASSO:

Percy Jackson, para os leitores dos livros do tio Rick, não preciso nem explicar o porque. Mas para você que ainda não leu, a única coisa que realmente se parece com o livro é o título. Os produtores não queriam gastar muito, tio Rick só apareceu lá no primeiro dia das gravações, o roteirista não deve ter lido o livro, alguma coisa deu errado para o filme sair daquele jeito. Os efeitos são bons, o contexto é legal, mas não é o livro. Eu esperei ver a cena da briga entre o Percy e Ares que simplesmente não teve. Em o Mar de Monstros, eles tentaram se aproximar do livro, inclusive a linda Alexandra Daddario ficou loira para viver Annabeth na continuação, mas não adiantou muita coisa quando os produtores resolveram colocar Chronos para dar as caras no filme.


Divergente, eu não diria que foi 100% um fracasso, até porque eu gostei do filme, inclusive assisti Insurgente e achei toda a trama interessante, o lance da caixa, o modo que algumas coisas foram abordadas, mas o filme foi para um público que assistiu o primeiro e foi ver sua continuação e não para pessoas que assistiram o primeiro e leram os livros. Eu senti falta da cena em que a Tris fica loucona com o soro da felicidade, mas fiquei emocionada e encantada com a cena do soro da verdade, a Shai tem sido uma ótima Tris Prior e aquela cena só me mostrou o quão maravilhosa ela tem sido nesse papel. Eu realmente consegui odiar o Caleb, mas o final foi tão decepcionante, a maioria dos fatores principais foram cortados, eu ainda senti um pouco da falta da ação que percebi em Insurgente. Digamos que foi fracasso.



SUCESSO:


A Culpa é Das Estrelas, não tenho nem o que dizer. O filme está perfeito, mostra todos os detalhes que o livro quis passar, o amor independente da doença, a relação romântica e comédia que existia entre a Hazel e o Gus  foram muito bem explorados no filme e eu achei isso sensacional, deu pra chorar, deu pra rir, deu pra se apaixonar novamente por esse casal.

É isso ai pessoal, acho que esses são os três filmes que eu mais comentei sobre adaptações quando foram lançados, mas o que vocês acham? Qual outro filme decepcionou vocês nas telonas? Beijos e até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo