Pitanga

20 de abr de 2015
Oi gente maravilhosa,
O post de hoje demorou um pouquinho, mas estou aqui. É só que o dia foi corrido, mas enfim. Eu estou deixando de lado um post sobre algum livro ou filme ou música ou qualquer coisa para falar pra vocês um pouquinho de algo que todo mundo gosta e que não vive sem, isso mesmo,  o beijo!


Já dizia a música do Chimarruts, o beijo tem gosto de pitanga, mas pitanga? Uma fruta tão leve? Como um beijo pode ter sabor de pitanga? A verdade é que o beijo tem o gosto daquilo que te faz zen. Faz um tempinho que eu viciei nesse teu beijo. A respiração acelerada, o frio envolvente, os teus braços me protegem do frio, mas muito além disso, me protegem do mundo a nossa volta, me protege daquilo que pode me fazer mal, me protege dos meus medos, das minhas escuridões. Encontrei no teu abraço meu porto seguro. Ah, mas no teu beijo, eu encontrei o doce sabor do desejo, do calor, encontrei o calor que o nem o inverno mais intenso poderia apagar. Nossa respiração falha, você me aperta nos teus braços, mas não deixa que meus lábios soltem os seus e eu gosto desssa sensação, você me protege enquanto me aquece. Mas então você larga o meu corpo e toca meu pescoço, aquilo me arrepia a espinha que a minha reação automaticamente é te apertar ainda mais contra mim. Eu não consigo parar, e você não quer parar, é viciante essa sensação, não deixe que eu me esqueça dela, repita hoje, amanhã, todos os dias. Somos como polos opostos, um negativo e o outro positivo, até tentamos nos afastar, mas nossos corpos tendem a se aproximarem novamente. Do calor do seu corpo, faço o meu calor, do calor do nosso beijo, me acalmo. As lágrimas que antes me insistiam em atormentar, finalmente param e eu dou um leve sorriso, enquanto nossas bocas ainda estão coladas, o medo já não está ali, o frio já não me incomoda mais, a única coisa que me faz real são os seus braços envolta de mim provando que nada daquilo foi um sonho, nada daquilo foi fantasia, tudo aconteceu sim. E depois que nossos corpos se separam, minha mente começa a trabalhar novamente, mas a única coisa que passa aqui dentro é nosso momento, aquela dança nos nossos lábios, a sua mão envolvendo meu cabelo. Ah, esse beijo, eu prometo não esquecê-lo, porque ele teve gosto de pitanga, ele teve o gosto leve dessa fruta.

Ok, quem escreveu prefere não se identificar por estar levemente envergonhada, mas ok. Que sabor tem o beijo de quem você gosta? Conta aí. Beijinhos da Mands.

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo