Não se apega, não!

11 de mai de 2015
Oi gente, que saudade!
Depois da semana cheia e corrida que tivemos semana passada, voltamos a ativa! E eu volto para falar um pouquinho da minha recente leitura, o livro "Não se apega, não!". Com certeza você já deve ter ouvido falar deste livro (a não ser que você estivesse em sono profundo nos últimos meses, ai você está perdoado) da lindíssima da Isabela Freitas.


Bom, para você que ainda não sabe bem do que se trata o livro, confere ai a sinopse:

"Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar o namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal per-fei-to! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, com as tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado. 
Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico
.
"

Bem, deu para ter uma noção do que se trata né? O livro é todo em volta desse fim de relacionamento com o Gustavo (que você acaba aprendendo a odiá-lo ao decorrer da história) e de como a Isabela fez para superar mais um fim de namoro com situações antigas, afinal ela deixa bem claro que aprendemos com nossos erros, são eles que trazem a bagagem de conhecimento. A conclusão que tirei foi que, o que vale é a minha felicidade e não a do próximo, porque do que adianta meus amigos felizes enquanto eu não estou. A mineira Isabela transborda autoconfiança neste livro, chega a ser lindo e motivador para qualquer outra pessoa que esteja passando pela mesma situação, tanto mulher como o homem também. Ela quer quebrar esse tabu de que desapego significa o mesmo que deixar de amar, NÃO, não é deixar de amar, é se permitir ser livre. Por isso eu resolvi responder algumas das perguntas que eu fiz para quem me indicou o livro e que com certeza alguns irão se identificar, confere ai: 

É legal?
MUITO

Indicaria para outras pessoas? 
Estou indicando, pega logo lê. 

É livro de auto-ajuda?
Não, não é de auto-ajuda. Tipo, tem umas dicas e tal, ela dá uns tapas na sua cara. Você lê uma mensagem e fala "Olha, isso aqui, tem a ver com a minha vida hein? Acho que isso se encaixa pra mim.", as situações que são tratadas na história, muitas vezes são repetidas com inumeras meninas e isso acaba tornando o livro mais próximo e fortalecedor, mas não auto-ajuda. 

Se eu ler, eu vou começar a desapegar?
Talvez, a intenção dela é essa, que você perceba que não deve ser presa ao passado e a pessoas que não te fazem bem. Mas se assim como eu, você é muita apegada, é meio complicado, eu li e tomei para mim que algumas dicas vou tentar seguir, afinal ser solteira não é estar abandonada. É difícil você terminar de ler o livro e mudar totalmente seu eu, mudanças drásticas muitas vezes não coincidem com quem você é realmente. Então leia com aquela coisa na cabeça: "É uma dica, eu vou segui-la ou não?". 

De 0 a 10, qual nota você dá para o livro?
1000 vale? O livro é maravilhoso, você irá amar. 

É isso gente, espero que tenha ajudado vocês a decidirem a ler ou não, mas espero que leiam. Beijinhos da Mands.

P.S: Use e abuse deste livro, tem várias frases maravilhosas, Isabela, eu te amo. 
P.S*: [SPOILER] O melhor é que o livro todo ela fala sobre como é bom estar solteira, que não tem problema nenhum nisso e que ela está bem, e a prova de como eu sou apegada demais e amo formação de casais e finais felizes, eu torcia por ela e pelo melhor amigo dela, o Pedro, vê se pode. [/SPOILER]

1 comentários:

  1. Olá... tudo bem??
    Bom eu não tenho vontade de ler esse livro... mas posso falar de meus desapegos kkkkkk eu escolhi ser solteira, porque além de não ter que dar satisfações a ninguém eu tenho uma filha adolescente e eu não confio em nenhum homem a ponto de colocá-lo em minha casa... foi dificil, porque eu sempre fui muito carente de carinho, mas com o tempo fui aprendendo a não me prender a isso porque só eu sofria. Outra coisa que aprendi com o tempo foi a não me importar com o que os outros pensam... não estou nem ai... eu me considero uma pessoa super eclética e aceito as pessoas como elas são... e aceito o minimo disso em reciprocidade, se não der paciência rs... Enfim... senti muita empolgação sua com a leitura desse livro... se valeu pra você é o que realmente importa... para quem gosta temática não deve perder tempo... xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/2015/05/editora-empireo-olho-de-boto.html

    ResponderExcluir

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo