O Diário de Anne Frank!

22 de mai de 2015
Oi gente,
Hoje eu vim falar pra vocês de um livro que li a pouco tempo, mas já considero pakas! ok, parei. O Diário de Anne Frank com certeza foi a minha "surpresa" deste ano, comecei lendo por conta da faculdade, sem muitas esperanças e quando percebi, eu tinha me apaixonado.



Pra você que ainda não leu ou não conhece o livro, confere a sinopse:

"12 de junho de 1942 – 1º de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen. A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz deste livro um precioso documento. Seu diário já foi traduzido para 67 línguas, e é um dos livros mais lidos do mundo. Ele destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento. Um retrato da menina por trás do mito."

Quando comecei a ler, confesso que não foi muito empolgante, achei a Anne um pouco confiante de si demais, falando de meninos e das suas amigas. As coisas começaram a ficar mais interessantes quando ela foi submetida a ir para o Anexo Secreto, que foi seu esconderijo e de sua família por dois anos. No começo Anne era bem petulante, ela gostava de ser sempre a certa, mas com o passar dos meses e dos anos, ela começou a mudar e sua mudança é explicita, entrou criança e saiu adolescente, com outra cabeça, outros pensamentos, ela cresceu fisicamente e psicologicamente. Além de conhecermos Anne, conhecemos também os outros 7 habitantes do Anexo, que são seus pais, irmã, uma família de amigos e um dentista que entra para o Anexo depois. A imagem que ela passa de cada um deles é bem marcante. Eu realmente criei um ódio pelo Sr. Dussel (o dentista) pelo jeito egoísta que ele tinha, escondia comida, não deixava dos outros usarem coisas suas, e vamos combinar que se você foi convidado para se esconder num lugar que não é seu e as condições são precárias, afinal, você está escondido, não está muito numa posição para definir o que emprestar ou não. E como uma fã de romances, eu desejei com força que ela ficasse com Peter, o filho dos van Daan (família de amigos), eles não se bicavam muito no começo, mas afinal, Anne era uma criança, ela não estava nem ai para um garoto que vivia quieto e escondido, mas ai ela percebeu nele o complemento dela, já que ambos compartilhavam alguns sentimentos. e fim, já shippo. 
Percebemos também uma grande alteração nos humores, o humor de todos muda constantemente, mas dá para imaginar o porque, ter que ficar escondidos, não se pode colocar um pé que seja para fora, tem que conviver com outras pessoas, e sujeita aos seus temperamentos também, brigas não poderiam faltar. 
Vale a pena ler? Muito. Eu me surpreendi, sinta-se surpreendido também. Beijinhos da Mands. 

"Papel tem mais paciência do que pessoas" - Anne Frank 

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo