Uma adolescente ainda mora em mim!

25 de jun de 2015
Boa tarde meus amores,
bem, esse será mais um de minha autoria, beleza? Bom, vamos falar um pouco daquele momento em que você percebe que está crescendo, mas seus sentimentos de adolescente ainda estão presentes.



Existem certos momentos de nossas vidas em que somos obrigados a crescer e amadurecer, aprender que a vida tá andando e você querendo ficar pra trás, as coisas estão mudando e você apegada ao seu eu de ontem. Se você tem o instinto de apego, não adianta negar, eu não acredito: você ainda trabalha dentro de si seus sentimentos adolescentes, eu sou assim. Tudo bem que não faz muito tempo que deixei de ser uma adolescente, mas quando você atinge a "idade do juízo", a intenção é que você amadureça. 

Não estou dizendo que você deve virar uma garota (ou garoto) frio e sem sentimentos, não, isso não é o que quero dizer com sentimentos adolescentes. O que eu quero dizer é em relação a sua maneira de agir quando o assunto é você e ele, "o escolhido". Começa que pelo fato de eu dizer o escolhido já mostra como estou presa ao sentimento adolescente, porque vamos concordar que o escolhido muitas vezes de príncipe vai pra sapo e você ai acreditando que ele seria o cara pra casar, ter dois filhos e um cachorro. 

Percebi que ainda estava presa na minha adolescência na forma como eu estava lidando com alguns romances do cotidiano, em um beijo eu vi um futuro, em abraços eu vi amor e botei muita fé em palavras ditas muitas vezes só por educação. Não era nada demais, mas na minha cabeça aquele cara seria o meu futuro e eu já me via numa igreja entrando e ele me esperando no altar. Qual é o meu problema? Sim, sentimentos adolescentes. 

Mas por que o termo adolescente? Vamos concordar que todo adolescente ama ampliar o que está passando, parece que para eles tudo é intensificado 10x e pronto. Você ama muito mais intensamente, mas a decepção meu amor, vem na mesma intensidade. Porque ai o cara que você acreditava piamente ser o certo, na verdade não é, na verdade ele é o oposto do que diz ser pra você, e quando teus olhos se abrem para a realidade, BUM, seu mundo despenca e ai vem a fase de negação/aceitação, não acredita que acabou ou que nem chegou a começar, mas só pelo fato de você acreditar que existiria a possibilidade de ficarem juntos já é uma barra enorme pra você aguentar. Isso porque eu ainda nem falei no ciúmes, tudo bem que ciúmes não tem idade, eu era ciumenta com quatorze anos, porque não seria agora? Mas o drama que acompanha o ciúmes, esse sim é bem adolescente, arrisco dizer que até meio infantil, sim, infantil, ou você vai querer me dizer que mandar "então vai lá com fulano" ou "talvez você goste mais de ciclano" não é totalmente atitude de uma adolescentezinha? Até pouco tempo eu me incluía nisso, mas você precisa passar por uma crise de ciúmes da sua amiga ou do seu namorado com você, para perceber o quão insuportável isso é. 

Isso precisa acabar, ou não exatamente acabar, mas a intensidade tem que diminuir, agora você é uma mulher madura, inteligente, linda e decidida, as inseguranças que antes te acompanhavam, não devem te atrapalhar no dia-a-dia, ou nas suas decisões. Use sua fase de intensidades como um aprendizado, não precisa excluir tudo também, não é isso que eu quero dizer, deve morrer na suas tomadas de decisão, mas pode usá-las para perceber quando está entrando numa fria ou não. Pare de fazer uma tempestade no copo d'agua por qualquer coisinha mínima, de importância praquilo que valha a pena, isso vale para acontecimentos como para pessoas, ok? 

A vida tem suas fases, tá na hora de deixar a adolescencia morrer e começar a agir como sua idade exige, o mundo é grande e bem mais complicado do que a decepção amorosa que você sofreu. 

Beijos da Mands

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo