Tive que lidar com o final.

5 de ago de 2015
Oie!
Começo dizendo que acabou, sim, acabou. Mas enfim, acabou o que?
Acabei meu namoro, muitos devem imaginar que devo estar esparramada no chão do meu quarto lamentando para os quatro cantos do universo do porque isso foi ocorrer. Não, eu não estou assim nesse momento, mas eu tenho sentimentos então eu fiquei mal e ainda estou um pouco mal, vamos por partes....
Estava tudo ok, até então depois de uma viagem feita nossos universos resolveram se estranhar, meus planetas ficaram fechados, mais na deles e o os planetas dela queriam se entrosar, saber o que estava acontecendo no meu mundo, mas meus planetas, cosmos, cometas e tudo o que tem no universo estavam apenas chateados e apesar de saberem que o certo era simplesmente dividir isso, eles preferiram se fechar um pouco pra tentar entender o que estava acontecendo com eles mesmos. Isso, claro, deu um pequeno desgaste, um choque entre universos e tudo aquilo nos fez perceber que talvez funcionamos melhor na amizade, nos entendemos bem, gostamos de praticamente a mesma coisa, mas nossas formas de demonstrar amor é totalmente diferente. Eu sempre fui "de menos" nesse quesito, nunca precisei fazer milhões de polichinelos, ou dizer Eu Te Amo quinhentas vezes para provar que amo e por isso estranhava quando recebia amor demais, quando na verdade deveria apenas agradecer a cada Eu Te Amo que recebia.
Ok, após a frase dita: "Eu quero terminar", as moléculas do meu corpo simplesmente pararam, resolveram que a melhor forma de reagir era petrificar, eu deveria parecer uma idiota, mas culpo as minhas células por isso. Não chorei na hora, não consegui, apenas aceitei a situação e disse que tudo bem, aceitaria aquilo, realmente aceitei, porém depois de 3 horas a ficha caiu e as lágrimas também....


E elas continuaram a cair por exatamente 6 dias seguidos, eu acordava cedo, fazia minhas coisas e quando parava simplesmente chorava, tive apoio de amigos, pedi pra voltar, mas não adiantou, porque o medo falou mais alto, não sabíamos se voltando tudo iria se resolver, poderíamos terminar novamente, não teria futuro, portanto resolvemos preservar nossa amizade, combinamos que continuaríamos saindo, conversando, nos vendo na faculdade...
A primeira semana foi a pior, meu coração apertava, meus olhos colocavam pra fora o que não cabia no peito, mas a segunda semana eu me animei, porque como diz minha amiga: "Ninguém morre de coração partido." Sem contar que aceitei  fato de que iria doer no presente e melhorar no futuro e todos nós sabemos que depois de uma grande tristeza sempre vem uma cachoeira de felicidade!
Confesso que não sei lidar com finais, quando nos vimos na faculdade era tudo muito estranho, não poderia mais dar um oi seguido de um beijo na boca, ou sair de mãos dadas, mas ainda poderia dar um oi com um beijo na bochecha e simplesmente perguntar: E aí tudo bem? E isso me acalmou, porque eu sabia que os 3 meses não seriam jogados fora, sabia que a partir daquele momento apesar de termos colocado um ponto final no namoro, tínhamos iniciado um novo parágrafo no quesito amizade.
Não guardo rancor, mágoas, nada de ruim, só tive momentos bons durante os 3 meses e são eles que guardo comigo, agradeço todos os dias pela pessoa ter aparecido em minha vida e ter me amado incondicionalmente da melhor forma possível, sei que estaremos juntas daqui pra frente, talvez não de mãos dadas, mas de braços dados com uma grande amizade para cultivar!
Beijos,
Lua.


0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo