A decadência da saga Divergente (filme)

28 de set de 2016

Já fazia um tempo que alguns boatos rondavam a última parte cinematográfica de Divergente, o filme Ascendente. Pra quem conhece os livros, sabe que a história de Ascendente seria algo totalmente roteirizado por fora do livro, já que a história acaba em Convergente. 
Felizmente (e eu já vou explicar o porque), a Lionsgate, produtora dos filmes da saga, anunciou que a última parte será uma série de TV com 10/13 episódios e sem o elenco original do filme.



Essa é uma afirmação justa. Esse é o plano. A propriedade foi movida para a divisão de TV agora. O desempenho do último filme nos cinemas comprometeu os recursos que precisávamos para fazer a produção necessária que os fãs mereciam“, afirmou  Patrick Wachsberger, co-presidente da Lionsgate.


Tô triste? Não! 
Quando a Lionsgate lançou Divergente para o cinema lá em 2014, a proposta apresentada foi muito. Eu, como fã dos livros, amei ver a adaptação, mesmo encontrando várias diferenças do livro para o filme. Mas eu estou acostumada com isso, entendo que nem tudo que se passa pela cabeça de um escritor, é capaz de virar cena no cinema sem que os produtores tenham que desembolsar milhões. 
O ponto é: Eles erraram em achar que poderiam futurizar demais o filme. Foi isso o que eu vi em Insurgente. O roteiro foi 80% diferente do livro, eles basicamente mantiveram a essência e deram um tapa na nossa cara e na da Veronica Roth. Foi ai que as quedas começaram. O lucro de Divergente para Insurgente caiu cerca de US$ 14 milhões, o que não é bom para uma sequência, afinal, se você pretende lançar um segundo filme, espera-se que o retorno seja o mesmo ou maior do que primeiro. 
Mas eu tentei dar o voto de confiança, eu juro! Assisti Insurgente e, mesmo sem gostar de várias coisas que colocaram, aprovei. 
Eu esperava encontrar em Convergente o final que a saga merecia. Fala sério, eu passei uma semana chocada e magoada com o final de Convergente, tentando entender porque a Veronica é tão cruel e tão genial em nos proporcionar algo, realmente, fora do comum. Eu não esperava menos do que o bom (porque também não dá pra forçar a barra e falar que estava esperando algo excelente). 
E aí...me deparo com Convergente e gente...oi? Quando vi, eu realmente desisti. Via Ascendente como forma pura de conseguir um pouco mais de grana (o que me admira, já que foi um desastre). Pra vocês terem uma noção, a receita de Convergente foi de US$ 177 milhões, sendo que para produzirem o filme, eles gastaram US$ 110 milhões. A margem de lucro é pequena demais. 
Volto a perguntar: estou feliz com Ascendente virar série? Não, porque nem série deveria ter. Eu apoio uma série de Divergente, mas de DIVERGENTE, contando a história desde o início novamente e ver no que dá. Foi o que fizeram com Os Instrumentos Mortais e deu certo, não? 

Bom, o que importa é que agora teremos uma série de Ascendente sem a Shailene (para a minha tristeza, porque ela foi uma ótima Tris Prior) e todo o pessoal. Agora nos resta esperar para saber mais do que a Lionsgate está preparando e torcer (lá no fundinho) para que dê certo. 

Beijos da Mands


2 comentários:

  1. Eu não li nenhum dos livros porque eu amei os filmes haha
    Concordo que a serie deveria ser de Divergente , ja que não faz sentindo fazer uma serie que vai contar so o final da historia e ainda por cima com atores diferentes ..
    anyway , vamos ver no que isso vai dar haha
    Beijoo
    Blog - www.estacaonoventae7.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Totalmente estranho né?
      Mas vamos esperar pra ver o que da!!!
      Beijão!

      Excluir

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo