Desventuras em Série | Crítica

18 de jan de 2017

E depois de muito tempo esperando, finalmente pude apreciar a mais nova obra-prima da Netflix, mais conhecida como Desventuras em Série. E aviso: você não encontrará uma história feliz nesta descrição. 


Quando soube da notícia da produção de Desventuras em Série, confesso que fiquei apreensiva. A coleção foi uma das primeiras que li, foi um dos primeiros livros que li com gosto e com a paixão pela leitura. O receio de ver algo que você goste muito ser produzido é aterrorizante. Digo isso porque, para quem não sabe, a Seleção (um dos meus livros favoritos) está passando pela fase de contratação de diretores, roteiristas e etc e eu estou com aquele receio de "vai dar certo?". O mesmo passou pela minha cabeça quando vi o anúncio de Desventuras. Porém, ao saber que Neil Patrick Harris faria o icônico Conde Olaf, já me animou. Mas vamos para o que interessa. 



Confira, primeiramente, a sinopse da série para ficarmos todos cientes do que se trata a terrível história dos Baudelaire: "Baseada na coleção campeã de vendas do escritor Lemony Snicket (também conhecido como Daniel Handler), “Desventuras em Série” conta a trágica história dos irmãos Baudelaire – Violet, Klaus e Sunny – órfãos sob a guarda do terrível Conde Olaf, que fará de tudo para colocar as mãos na herança das crianças. Os irmãos precisam constantemente despistar Olaf, frustrar seus planos malignos e investigar a misteriosa morte de seus pais". 

Quer assistir? Assista, mas não espere por momentos felizes. Sabe aquela esperança de que uma hora as coisas irão dar certo? Então, não vai acontecer. Os Baudelaire, basicamente, entraram em uma maré de azar após a morte dos seus pais que chega a ser absurda. Porém, lhes prometo fidelidade. Para quem leu os livros, sempre fica aquele receio de como irão adaptar a história, se uma cena ou outra entrarão ou não e eles nos deram isso. 



No quesito ambientação, simplesmente arrasaram com a produção dos cenários, roupas e trilha sonora. A série tem uma pegada antiga, mas que consegue te manter no universo atual. A interpretação de todos foi sensacional, eles conseguiram nos passar emoção. As crianças não decepcionaram também. Malina Weissman (Violet) e Louis Hynes (Klaus) conseguiram nos mostrar a personalidade de cada personagem. 

Porém, como nem tudo é perfeito...algumas coisas me incomodaram como o excesso de CGI na pequena Sunny. Sabemos como é difícil trabalhar com um bebê, mas em determinadas cenas chega a ser grotesco. 
Em determinados momentos, passa a ficar cansativo. A narrativa de Lemony, em alguns momentos, é chata e entediante. Sabemos que tudo não passa da proposta da série, mas tudo bem. 
No meio da temporada, a sensação que tive foi...estão arrastando isso, chega a dar sono. 

Mas no geral, minha nota é 7. Acho que por realmente gostar muito da história, os pontos fracos acabaram não se sobressaindo muito, mas valeu. 

OBS.: Alguém notou o fato/ referência de leves da Colbie (Robin de How I Met Your Mother) ser mencionada como Mother em Desventuras? Tô de olho nessa zoera aí, Netflix. 

Beijos, 

2 comentários:

  1. Oi! Quero assistir a série, mas como você tenho receio de não gostar. Mas sua nota foi boa para uma adaptação. Em breve terei meu ponto de vista. Bjos, seguindo o blog!

    Click Literário

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda, tudo bem?

    Eu ainda não li os livros, mas já conferi a série.
    Gostei muito, talvez por não ter lido nada ainda.
    Mas adorei sua opinião.

    Beijos.
    Alana Marques.
    colecionadoresdelivross.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo