[CRÍTICA] Cara gente branca

29 de abr de 2017



Hello caro leitores....
Tudo numa boa? Espero sinceramente que sim!
A Netflix lançou ontem sua nova série original, cujo o nome é Cara gente branca ou Dear White People, acabei assistindo a série toda ontem, juntei a vontade de ver que estava grande e a boa qualidade da série e transformei em uma super maratona e após esse vazio existencial por ter terminado tudo de uma vez, eu vim compartilhar o que eu achei da série!


Como eu disse, é uma série original da Netflix e a trama vai girar em torno de 6 personagens, cada episódio conta um pouco a visão e a vida de cada um deles. 
A história aborda o racismo, em uma faculdade nos States, Whinchester, onde uma boa parcela dos estudantes são negros e sentem que não se encaixam ali. Por isso essas pessoas criam um grupo, só de negros e se reúnem para discutirem as diferenças e preconceitos que enfrentam dentro da própria faculdade no qual o reitor é negro e ainda assim parece que não se preocupa com o que os alunos passam ali dentro da instituição. Eles organizam algumas ações, protesto e afins.

Sam, uma das personagens principais e importantíssima para essa história, acaba criando a rádio cujo o nome é Cara gente branca, ali ela achou uma forma para se expressar, se comunicar e liderar o seu grupo contra o preconceito! 
Lionel também é importante para trama já que sua forma de se expressar é através do jornal da instituição e lá ele começa a tomar as dores do movimento e começa a mostrar grandes injustiças que o seu grupo sofre! 
Porém, além de ter que enfrentar a turma, eles precisam ainda reunir coragem o suficiente para enfrentar pessoas com cargos altos dentro da universidade e seus próprios preconceitos!


Obviamente achei a temática da série totalmente pertinente e interessante! Apesar de parecer um assunto tão antigo, ainda precisamos conversar sobre! O racismo está enraizado na nossa cultura e damos de cara com ele todos os dias das nossas vidas! Milhões de pessoas morrem, são presos, julgados, apenas por serem negros, por serem considerados "diferentes" e isso precisa mudar! 

Pontos que achei interessante na série é que ela abrange o racismo como um todo, como ele funciona, o quanto as piadinhas são sem graças e prejudicam, como as pessoas se sentem e afins.
Na trama, um grupo de pessoas brancas, escrevem para uma revista que já é clássica na faculdade, ela é especialista em charges e a maior parte dos seus assuntos são sátiras com os negros, para piorar o dono dessa revista resolveu dar uma festa temática cujo as pessoas brancas deveriam ir vestidas de negro "Blackface" e claro que isso levanta uma guerra na faculdade e várias confusões.

Os 6 personagens principais que citei são importantes para você ir entendendo a trama e o quanto o assunto é complexo, por exemplo:

Sam- ela é a líder do movimento, ela já está na luta a um bom tempo e isso aumentou ainda mais a partir do momento em que criou a rádio. É interessante ver a insegurança dela na luta e como ela mesma se desconstrói. No início ela mostra que além de apoiar a causa ela tinha um tipo de pensamento diferente, queria namorar apenas negros, ter filhos negros e parece que rejeitava de certa forma os brancos e isso muda quando ela se apaixona por Gabe.

Gabe- um cara branco que se apaixona por Sam, mas que se sente totalmente deslocado quando está com ela, justamente por sempre estar sendo julgado por sua cor, afinal sempre é deduzido que ele não sofre tanto quanto os negros e que boa parte de suas regalias vem por ser branco e não especificamente por seu mérito.

Reggie- é uma figura forte no movimento, tem a certeza que quer construir sua família com uma mulher que seja negra e ama sua cultura mais do que tudo! Acha um absurdos pessoas brancas usarem palavras como negro e afins. Durante a trama ele passa por uma situação muito comum de preconceito, quando um policial exige ver sua carteira da faculdade depois dele estar envolvido em uma briga, uma arma foi apontada para sua cara, enquanto isso seu colega que não era negro não precisou passar pelo mesmo constrangimento.

Lionel- no começo é bem imparcial e está em fase de auto descobrimento, até perceber que precisa ajudar a causa e usa o jornal para isso, ele acaba fazendo textos maravilhosos e expondo o assunto com uma relevância maior e sem sensacionalismo.

Troy- ele se mantém neutro na trama por estar concorrendo como presidente na faculdade, sendo o primeiro negro a tentar o cargo, ele é muito controlado por seu pai que é o reitor e por isso ele não da tanta importância para a causa o que causa certa revolta nas pessoas. Sem contar seu comportamento peculiar.

Coco- achei ela a personagem mais interessante pelo simples fato de ela renegar as vezes sua cultura, querer sempre se misturar com as outras pessoas, mas isso por ter sofrido muito quando pequena, além de passar por situações de constrangimento, ela sofreu muito preconceito, mas em vez de lutar ela prefere abafar o caso e fugir disso.


Gostei ainda mais do fato da série mostrar o quanto a batalha pode ser levada ao extremismo e o quanto isso pode ser ruim, mas como ela também pode tornar-se algo saudável e totalmente relevante. Essa mesclagem nos faz pensar a série toda em questões importantes e que podemos trazer para a realidade.

Gostei da forma que a trama foi sendo construída, os episódios não são confusos, apesar de cada um falar sobre um personagem, as histórias de ligam sempre, pois giram na mesma situação porém do ponto de vista alheio. O que me incomoda um pouco é quando as coisas levam uma seriedade a ponto do extremismo, porém isso é desconstruído durante a história. 

Claro que temos muitoooos romances na história, friendzone e muito mais e isso deixa as coisas mais interessantes! Apesar de ser uma temática que parece pesada, a série trata o assunto com leveza sem tirar sua seriedade, pois então Netflix, vocês estão de parabéns!

Os episódios são curtos, com duração de 20 minutos, então ela é construída com assuntos objetivos, específicos e gostoso de discutir e observar o desenrolar.


Antes da série ser lançada, houve um mini "barraco" quando pesquisas apontaram que muitas pessoas estavam dispostos a parar de usar a plataforma ou estavam descontentes por ter a possibilidade de ser lançada uma série onde a maioria dos personagens, inclusive os principais, serem negros e por abordar esse determinado assunto! 
Quer uma prova maior do quanto o racismo está vivo na sociedade e do quanto precisamos debatê-lo?
Portanto achei de uma coragem e gesto maravilhoso a Netflix  ainda se dispor a lançar a série e ela está maravilhosa!!!

De 0 a 10 eu dou 10 sem sombra de dúvida! Indico para todos e não só pelo assunto, até bati nessa tecla durante toda a crítica, mas também pela qualidade, som, fotografia e atuação!

Espero que tenham a oportunidade e o interesse de conferir!
Beijão

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Biblioteca do coração - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Se inscrevam clicando aqui
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo